Qual vídeo/vlog vocês querem no canal do youtube?

Pesquisar este blog

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Seguidores

Google Analytics

A Blogueira

A Blogueira
Estudante de Análises Clínicas, formada em técnico em farmácia, técnico em química e atualmente maquiadora profissional, aquariana, 27 anos, adora escrever, adora livros, Potterhead.

Seguidores

Tecnologia do Blogger.
sexta-feira, 6 de janeiro de 2017
Olá pessoal, tudo bem com vocês?? Bom vamos a mais uma resenha de produtinhos....


Sempre quis ter meu cabelo vermelho mas sem descolorir, depois de 3 anos mais ou menos, pintando de vermelho, consegui chegar no tom que queria. Mas sempre tem novidades no ramo da beleza, surgiu a cor marsala. Fiquei encantada e já pedi pra minha cabeleireira pessoal para pintar dessa cor, tentamos algumas tintas, sem sucesso. Depois de muito pesquisar, chegamos na misturinha que utilizo hoje, a 8.66 + mix violeta, ambas da yamá + ox de 30vl.

Pesquisando na internet, descobri a máscara matizadora da Mairibel, vinho marsala. Decidi comprar para testar, me surpreendi com o resultado!! Ela é supeeeer hidratante, tem um cheirinho delicioso e ainda "matiza" os cabelos. Um grande detalhe que você deve analisar antes de decidir fazer uma mudança  tão radical é a manutenção que a sua nova escolha irá lhe dar. 


Eu deveria pintar os meus cabelos à cada trinta dias, é lógico que isso irá variar de acordo com o seu crescimento capilar, no meu caso ele vai muito bem obrigada (cresce de 2 cm à 3 cm por mês), mas com isso eu acabo tendo um certo prejuízo com a manutenção do vermelho, pois não fica nada bonito a raiz do cabelo escura.
E não é somente a raiz, ele fica opaco, sem brilho e parecendo “água de salsicha um pouquinho mais escura”, meninas acreditem em mim, o vermelho é lindo mas dá um trabalhão que até cansa. 
Mas vamos lá para o que interessa que a resenha desse Condicionador Hidratante maravilhoso

O Condicionador Vinho Marsala é um produto da marca Mairibel, eu confesso que não conhecia os produtos da marca por tratar-se de uma empresa que fabrica linhas  para profissionais.



Sobre o Condicionador:
O Condicionador Hidratante Vinho Marsala com óleo de argan, aminoácidos essenciais e outros hidratantes especiais, foi desenvolvido para reativar a cor e o brilho dos cabelos vermelhos, amenizando os tons grisalhos, hidratando e nutrindo os fios.
Quantidade: A embalagem contém 500 gramas que é muito bom, pois o produto rende bastante.
Onde encontrar: você pode pedir para o seu cabeleireiro solicitar  ao representante da marca, ou você pode comprar pelo mercado livre.
Quanto Custa: eu paguei R$51,00, foi um preço super justo pelo que o produto oferece e também pela quantidade.
Modo de usar: o cabelo deve ser lavado com um shampoo de sua preferência, retire o excesso de água e faça a aplicação enluvando mecha a mecha. É de extrema importância a utilização de luvas durante a aplicação, pois ele mancha as mãos, da mesma forma que os matizadores roxos. O tempo de espera é de 30 minutos, após isso é só enxaguar.
Durabilidade: ele funciona como um tonalizante e todas às vezes que você lavar os cabelos ele irá sair sim, isso é extremamente normal.
Como esse condicionador tem o tonalizante eu utilizo à cada 15 dias para reavivar a cor do meu cabelo, disfarçar a raiz e deixa-lo mais brilhoso, fazendo isso eu consigo pintar a cada dois meses.  Já economizo né amigas!!!
O produto está mais do que aprovado!!!! E vejam nessa foto eu já estou dois meses sem pintar o cabelo. #ficaadica 😍

Se você tem vontade de pintar os cabelos nessa tonalidade, já compra esse condicionador pois além de hidratar ele deixa os cabelos lindos.
Espero que tenham gostado.

Olá pessoal, tudo bem com vocês?? Comigo está tudo ótimo, graças a Deus. Peço desculpas pelo sumiço do blog, correria de final de ano, provas finais, mas estou de férias agora e terei mais tempo para postar no blog!! Prometo a vocês postar mais no blog, terá postagens pelo menos duas ou três vezes na semana durante esse mês de Janeiro e depois que voltar as aulas irei postar pelo menos duas vezes por semana. Já no canal do blog para youtube, sei que está parado mas logo irei postar mais vídeos. Em relação aos vídeos, vou tentar postar pelo menos uma vez por semana.
Desde já um feliz 2017 a todos!!

Vamos a primeira postagem do ano!!

    No início de 2015, foi aprovado nos Estados Unidos o uso do quelante oral Jadenu. Ele é composto pelo Deferasirox, mesmo componente do Exjade, já utilizado pelos brasileiros portadores de talassemia. A diferença é que a nova versão deve ser ingerida como comprimido e é melhor absorvida pelo estômago.
    Este medicamento não tem a intenção de agir de maneira diferente no organismo do paciente, e sim facilitar a administração do quelante de ferro. Estudiosos acreditam que para o portador de talassemia seja melhor tomar o comprimido, ao invés de dissolvê-lo em líquido.
    Sua função é se ligar ao ferro em excesso, em especial em órgãos como o coração e fígado, e produzir um composto que será excretado pelas fezes. "O Jadenu pode ser tomado em jejum ou depois de uma refeição leve, diferente do Exjade, que só pode ser ingerido em jejum. Mas o que ainda não se sabe é se o Jadenu realmente é seguro ou eficaz quando tomado com outra terapia quelante de ferro, por isso, até que mais estudos sejam realizados, é importante não combiná-lo", explica a Dra. Sandra Loggetto, hematologista do Comitê Médico Científico da ABRASTA.
    Ele é indicado para pessoas acima dos dois anos de idade, que já receberam entre 10 a 20 transfusões de hemácias e que tenham duas medidas de ferritina sérica acima de 1.000ng-dL.
    "Os efeitos colaterais são os mesmos do Exjade, já que a molécula utilizada também é a mesma. Assim, é possível que os pacientes apresentem náusea, vômito, diarreia, dor de estômago, além de alterações na função dos rins e fígado. Aliás, se o paciente tiver algum problema grave nestes dois órgãos, não devem receber tratamento com nenhum destes medicamentos", explicou a Dra Sandra.
    O Jadenu, que teve boa aceitação nos Estados Unidos, não está aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e ainda não é comercializado no Brasil.

Fonte: InfoAbrasta
           Edição 35
           Ano 11
           Dez-Jan-Fev 2017
Página: 5