Qual vídeo/vlog vocês querem no canal do youtube?

Pesquisar este blog

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Seguidores

Google Analytics

A Blogueira

A Blogueira
Estudante de Análises Clínicas, formada em técnico em farmácia, técnico em química e atualmente maquiadora profissional, aquariana, 27 anos, adora escrever, adora livros, Potterhead.

Seguidores

Tecnologia do Blogger.
segunda-feira, 30 de junho de 2014
Ola pessoal e vamos para mais uma resenha, dessa vez o lip balm Smith's Rosebud Salve. Esse lip balm realmente é o melhor, o vaseline também é excelente, mas esse é o melhor. Recentemente criei uma parceria com a loja online Bora Colega Shop, tem o banner logo no canto do blog., como assisto vários tutorias de make no youtube sempre ouvi falar muito bem dessa loja e resolvi criar parceria. Recomendo alguns blogs onde tem tutorias de makes lindas, deixarei os links logo depois da resenha.
O lip balm Rosebud tem na loja Bora colega shopping, também deixarei o link depois da resenha.

Faz muito tempo que me perguntam sobre o famoso Rosebud Salve. Como vocês sabem, eu tenho os lábios super sensíveis e extremamente secos, o que me fez acumular uma pequena coleção de lip balms. Entre eles Vaseline, EOS, Nívea, Peppermint (em breve resenha) e o famoso Rosebud Salve. Confesso que quando comprei (já faz algum tempo) foi no impulso e pura e simplesmente porque todo mundo amava e idolatrava este “lip balm”. Eu enjôo rápido dos produtos e vivo querendo trocá-los para usar coisas novas, mas este virou o queridinho de todos os tempos!
Eu sempre quis testar este balm de tanto que ouvia falar dele. Mas não sei porquê nunca comprei, acabava dando prioridade para outros produtos. O Rosebud Salve não serve só para hidratar os lábios, mas pode ser usado também nas cutículas, assaduras, queimaduras, manchas … Esse lip balm não adiciona cor nos lábios e é super hidratante. Uso bem pouqinho, por isso essa latinha vai durar muito tempo. Tem um cheirinho bem gostoso e suave.
Uma das coisas que eu mais gosto desse produto é que ele não fica grudento nos lábios. Super recomendo para quem tem lábios secos ou está tomando Roacutan.
 Onde comprar? Claro, na bora colega shop (clique aqui) e custa R$38,00

O preço é bom, pois a latinha dura muitooo, mas também tem a opção de comprar kit com três latinhas, para isto (clique aqui), custa R$ 116,00.

Segue o link dos blogs que sigo sempre e sempre vejo os vídeos:

E ai, beleza? (Karen Bachini): http://eaibeleza.com/

Niina Secrets: http://niinasecrets.com.br/


Agora colocarei os links dos canais no youtube dos dois blogs citados acima

E ai, Beleza?: https://www.youtube.com/user/asukahp

Niina Secrets: https://www.youtube.com/user/NiinaSecrets



Ola pessoal, vamos a mais um post. Sei que não tem muito haver com o intuito do blog, ou seja, assuntos relacionados a talassemia, mas resolvi diversificar e trazer outros assuntos e esse mês e o próximo vai ter várias resenhas de produtinhos, assim não ficamos só falando de doença pois sei que cansa um pouco ficar somente em um assunto. O interessante destas resenhas é que vocês podem se distrair e se animar mas vou continuar falando sobre a talassemia e como prometido, muito em breve vou inaugurar o canal no youtube com vídeos principalmente do desferal que é o mais aguardado por todos. Em breve também filmarei meu material escolar deste ano, minhas aulas só começam em agosto, pois estou entrando no segundo semestre desse ano. Esse ano vou cursar técnico em química e como vocês sabem sou formada em técnico em farmácia, na verdade antes eu queria química mas como não havia mais vaga fiz farmácia e não me arrependo pois foi um curso muito bom. O curso de química terá inicio em agosto e término em julho de 2016, são dois anos de curso totalmente gratuito, mas se vocês quiserem farei um post só sobre o curso, deixem um recadinho aqui no blog que terei o maior prazer em fazer este post para vocês.
Também tem um outro post que farei muito em breve que é sobre a parceria da ABRASTA com o Senac, mas chega de conversa e vamos a resenha de hoje: Lip Balm Vaseline
Há alguns anos minha tia ganhou este lip de uma outra tia minha, ela deixou eu experimentar e ameeei o resultado, então decidi pedir para a minha tia que mora em Londres me mandar um e ela mandou. Tem mais ou menos um ano que estou usando esse lip e é minha primeira latinha. Meus lábios na época do frio resseca muito e creio que pode ser pelas medicações que tomo, que não são poucas. Sempre usei hidratantes labiais mais dos comuns, como manteiga de cacau e sempre hidrataram. Quando comecei a usar o lip balm Vaseline senti uma diferença incrível na hidratação, ele hidrata muito mais os lábios que a manteiga de cacau convencional o único ponto negativo é que não tem no Brasil para comprar, mas posso indicar pra vocês duas lojas online onde você encontra esse lip mas não em lata igual o meu. As lojas são:

Beauty & Afins: http://www.beautyeafins.com.br/site/default-category/vaseline-lip-therapy-original-7g.html#
na seguinte formulação


Na seguinte formulação:



O meu lip balm vaseline é em lata, igual ao da imagem a seguir:

Mas a cor da lata é azul e do lip balm transparente, o meu é o original. Meninas esse lip é realmente muito hidratante, hidrata mesmo os lábios, recomendo muito!!





domingo, 29 de junho de 2014
Ola Pessoal, tudo bem com vocês? Bom, espero que sim! Prometi que iria fazer uma resenha sobre a conferência e postar fotos, bom como prometido vou cumprir. A conferência foi um marco muito importante em minha vida nesse ano, nunca havia participado de uma conferência de talassemia e do encontro de pacientes, foi o primeiro de muitos outros que virão. Nessa conferência aprendi a importância da quelação correta e vi que com uma quelação correta minha ferritina irá baixar, aprendi também o quão importante é a ressonância magnéctica T2* para um bom diagnóstico de acumulo de ferro seja cardíaco ou hepático.
Postarei agora algumas fotos da conferência e em breve farei uma resenha mais detalhada.













Ola pessoal, vamos a mais um post. Nesse blog eu tenho falado mais do Desferal e quase nada dos outros medicamentos quelantes, as vezes me esqueço principalmente do EXJADE, onde há um tempinho atrás passei um episódio negativo mas sei que tem pacientes que se deu muito bem com ele.
Nesse post vou falar sobre o Exjade e como preparar-lo

Deferasirox (Exjade): É a medicação quelante de ferro mais recente, aprovada no Brasil em 2006 e disponível no SUS desde 2009. Sua administração é por via oral, o comprimido deve ser dissolvido em água ou suco de laranja ou maça e a dose total é administrada apenas uma vez ao dia. Os estudos mostram que é eficiente em eliminar a sobrecarga de ferro no fígado e no coração. Estudos com grande número de pacientes demonstraram sua eficácia em pacientes com talassemia, doença falciforme, mielodisplasia e anemias raras. O ferro é eliminado pelas fezes, de modo que a urina tem coloração normal..

Exjade®
 é usado para tratar a sobrecarga de ferro causada por transfusões de sangue repetidas. Pode ser usado para tratar 
adultos, adolescentes e crianças com 02 anos de idade ou mais. Transfusões de sangue repetidas podem ser necessárias 
para pacientes que sofrem certos tipos de anemia, como talassemia, anemia falciforme ou síndromes mielodisplásicas. 
Entretanto, transfusões repetidas podem causar acúmulo de ferro. Isso acontece porque o sangue contém ferro e o seu 
corpo não possui uma maneira natural de remover esse ferro em excesso adquirido pelas transfusões de sangue. 
Com o tempo, o excesso de ferro pode causar prejuízos em órgãos importantes, como o fígado e o coração. 
Portanto, medicamentos chamados quelantes de ferro são usados para remover o excesso de ferro, reduzindo, desta 

forma, o risco da ocorrência de danos nos órgãos. 

Exjade®
 contém uma substância ativa chamada deferasirox. É um agente quelante de ferro usado para remover o 
excesso de ferro do corpo (também chamado de sobrecarga de ferro). Exjade®
 se liga ao ferro em excesso, o qual é 
então eliminado principalmente através das fezes. Você deve ter cuidado especial com Exjade®
 
Se alguns destes casos se aplicar a você, avise seu médico, farmacêutico ou profissional de saúde antes de tomar 
Exjade®
- se você tem problema no fígado ou nos rins; 
- se você estiver tomando ou tenha recentemente tomado analgésicos, anti-inflamatórios ou bisfosfonatos orais (vide 
“Interações medicamentosas”); 
- se você estiver tomando ou tenha recentemente tomado anticoagulantes (vide “Interações medicamentosas”); 
- se você teve um resultado de nível baixo de plaquetas no seu exame de sangue; 
 
Avise seu médico, farmacêutico ou um profissional de saúde imediatamente se você apresentar algum destes sintomas 
durante o tratamento com Exjade®
:
 
- se você vomitar sangue e/ou tiver fezes escuras; 
- se você tiver azia frequente ou dor abdominal (úlceras) particularmente após comer ou tomar Exjade®
- se você observar uma diminuição importante na quantidade de urina (sinal de problema nos rins); 
- se você tiver uma erupção cutânea grave ou dificuldade de respirar e tontura ou inchaço, principalmente da face e da 
garganta (sinais de reação alérgica grave); 
- se você tiver uma erupção cutânea, vermelhidão da pele, surgimento de bolhas nos lábios, olhos ou boca, descamação 
da pele, dor de garganta (sinais de reações graves de pele); 
- se você sentir uma combinação de sonolência, dor abdominal no lado direito superior, notar amarelamento da pele ou 
olhos ou piora deste sinal (amarelamento da pele ou olhos) e urina escura (sinais de problemas hepáticos). 
COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO? 
Sempre tome Exjade®
 seguindo a orientação de seu médico. Se tiver qualquer dúvida consulte seu médico ou 
farmacêutico. 
 
Quando tomar Exjade®
 
- tome Exjade® 
uma vez ao dia, todos os dias, aproximadamente no mesmo horário. 
- tome os comprimidos com o estômago vazio 
- então espere pelo menos 30 minutos antes de ingerir qualquer alimento. 
Tomar Exjade
® 
no mesmo horário todos os dias irá ajudá-lo a lembrar quando tomar seus comprimidos. 
 
Como tomar os comprimidos de Exjade®
 (ver figuras 1, 2 e 3): 
- jogue o(s) comprimido(s) em um copo de água, ou suco de laranja ou maça (100 – 200 mL) (figura 1) 
- agite até que o comprimido(s) esteja completamente dissolvido. O líquido dentro do copo ficará turvo. 
- beba todo o conteúdo do copo. Então, adicione um pouco de água ou suco no resíduo que restou no copo e beba 
também.

Figura 1

Figura 2

Figura 3

Quanto tomar de Exjade®

A dose de Exjade®
 está relacionada ao peso corpóreo para todos os pacientes. Seu médico irá calcular e informar 
quantos comprimidos você deve tomar por dia. 
A dose diária normal de Exjade®
 no início do tratamento é de 20 mg por quilo de peso corpóreo. Uma dose inicial maior ou menor pode ser recomendada por seu médico baseada nas necessidades individuais do 
tratamento. 
Dependendo da sua resposta ao tratamento, seu médico poderá aumentar ou diminuir a dose. 
A dose diária máxima recomendada é de 40 mg por quilo de peso corpóreo. 




Ola Pessoal, tudo bem? No post de hoje vou falar sobre a glicemia capilar. Vocês sabem o que é glicemia capilar?

O teste de glicemia capilar é extremamente importante no controlo dos níveis de glicose (açúcar). Um dos seus objetivos mais importantes é manter os níveis de glicose no sangue próximos do intervalo normal de 70 a 120 mg/dl antes das refeições e abaixo de 140 mg/dl duas horas após a ingestão dos alimentos. Normalmente os níveis de glicose no sangue são avaliados antes e depois das refeições e ao deitar. O valor glicémico é geralmente determinado através da punção com dispositivo de lanceta na ponta de um dedo, recolhendo-se uma gota de sangue, ou o necessário, para um medidor de glicose que determina um valor. Os resultados do teste são então utilizados para ajudar os pacientes a fazer os ajustes necessários em relação à insulina, outros medicamentos, dieta e atividade física que praticam.

Existem atualmente novos sistemas de sensores contínuos de avaliação da glicose. Para isso é necessário a implantação de cateteres sob a pele na região do abdómen ou no braço. Estes cateteres permitem uma avaliação frequente dos níveis de glicose no sangue. Ligado ao cateter existe um transmissor que envia os dados para um dispositivo de pager-like. 
Este dispositivo tem uma tela visual que permite ao utilizador ver, não apenas a leitura de glicose actual, mas também as tendências gráficas. Em alguns dispositivos, a taxa de mudança de açúcar no sangue é também mostrada e existem alarmes que alertam para níveis de glicose baixos ou demasiado altos. 
Já há versões que fazem uma interface com as bombas de insulina. Contudo, ainda é necessário a aprovação manual do portador do aparelho para administrar qualquer dose de insulina (a bomba não pode cegamente responder à informação de glicose que recebe, ele só pode dar uma sugestão calculada sobre se o utilizador deveria dar insulina, e em caso afirmativo, quanto). 
Todos estes dispositivos têm de ser correlacionados, ou seja, testados com picadas no dedo de acordo com a forma tradicional, antes de poderem funcionar de forma independente e segura. Algumas horas bastam para perceber a eficácia do mesmo. Depois de programados os dispositivos podem fornecer leituras para 3 a 5 dias.
Estes novos aparelhos aumentam de uma forma significativa a independência destes pacientes ajudando-os na gestão do seu processo de doença. Também é importante lembrar que estes dispositivos podem ser utilizados de forma intermitente com os métodos clássicos de avaliação de glicemia. 
Este tipo de sistema é mais um passo rumo ao objetivo final de criação de um pâncreas artificial, que detete as necessidades de insulina com base nos níveis de glicose e necessidades do organismo, libertando a quantidade necessária da mesma nos valores estritamente necessários, logo sem prejuízo para o paciente. 
Os valores da glicemia são:

Materiais necessários para o procedimento:
  • Luvas de procedimento;
  • Uma bola de algodão;
  • Álcool a 70%;
  • Fita teste;
  • Lanceta ou agulha 13x4,5 com agulha de insulina;
  • Aparelho próprio para o teste (Dextro);
  • Uma unidade de fita de glicoteste.
Procedimento:
  1. Preparar o material;
  1. Orientar o paciente quanto ao procedimento;
  1. Lavar as mãos;
  1. Calçar as luvas de procedimentos;
  1. Posicionar um dos dedos em que será realizado o teste, de maneira que a gota de sangue pingue na fita reagente conectada ao aparelho;
  1. Comprimir o dedo acima do local a ser puncionado;
  1. Realizar anti-sepsia do dedo com álcool 70%;
  1. Fazer um pequeno furo com agulha de insulina no dedo;
  1. Esperarr a gota de sangue pingar sobre a fita - não tocar o dedo na fita!
  1. Aguardar por 30 segundo aproximadamente;
  1. Fazer a leitura;
  1. Limpar o dedo do paciente;
  1. Organizar o material;
  1. Retirar as luvas;
  1. Lavar as mãos;
  1. Realizar a anotação.
Observação 1: Qualquer alteração, comunicar ao médico do paciente e medicar conforme prescrição médica e de acordo com o resultado encontrado.
Observação 2: Não deixe de usar o álcool 70% acreditando que o mesmo irá interferir nos resultados. Na minha vida acadêmica me deparei com inúmeros profissionais que alegavam não usar o álcool a 70%. De acordo com o parecer nº 002/2010 do COREM de São Paulo,  o álcool a 70% deverá ser usado neste procedimento.











sexta-feira, 27 de junho de 2014
Ola pessoa, tudo bem com vocês? Bom, no post de hoje vou falar um pouco sobre a autoestima de nós portadores de talassemia, em especial, a maior e intermediária.
Nós aparentamos uma cor mais amarelada da pele, principalmente quando estamos perto da transfusão de sangue (no caso da maior) e isso na maioria das vezes acaba incomodando (principalmente as meninas) um pouco, por isso resolvi postar sobre a autoestima: como melhorar?
As vezes, nós meninas não temos nem vontade de se arrumar um pouco, falo por mim que quando ia para a transfusão ou consulta ia de qualquer jeito, não passava nada de maquiagem, ia somente com uma roupa confortável, isso porque eu pensava que de qualquer jeito minha pele ia ficar amarelada (pálida) então pra que me arrumar? Eu nem passava um creme no rosto, minha autoestima era baixa, ás vezes nem colocar a medicação eu queria, dava vontade de largar tudo!

Minha mãe sempre me acompanhou nas consultas e transfusões e sempre falava para mim: filha, passa pelo menos um gloss e um lápis" e eu falava: "pra que?" até que um dia, em um dia de consulta eu vi no consultório uma paciente de af (anemia falciforme) toda arrumada e animada então comecei a me animar e depois daquele dia passei a me arrumar mais não só para dia de consulta e transfusão e sim para o dia a dia também.

Sei que a vida de um talassemico as vezes estressa, tem dias que acordamos de bem com a vida e fazemos tudo direito, colocamos o desferal, tomamos o ferriprox ou exjade, fazemos tudo correto, mas tem dias que nem isso queremos fazer e depois que passei a me arrumar um pouco melhor, tudo isso passou.
A partir de hoje, semanalmente postarei dicas de cuidados com a pele, dicas para disfarçar olheiras e cobrir imperfeições na pele, produtos de beleza que indico e que não indico, dicas de maquiagem para disfarçar a pele amarelada e em breve abrirei o canal do blog no youtube.

Sei também que havia prometido fazer o vídeo de como preparar o desferal corretamente, peço desculpas por não ter postado ainda, é que eu estou sem tempo para fazer as filmagens pois eu estava ajudando minha mãe em casa, ela fez cirurgia da tendinite, então ela não pode fazer muito esforço e ai eu ajudo ela, mas espero que em breve eu consiga abrir o canal do blog no youtube.

Fiquem atentos que em breve terá outra postagem de autoestima: dicas de cuidados com a pele, tutoriais de make e unha e muito mais.

Até a próxima


A ABRASTA atua para oferecer um acesso fácil e rápido ao melhor tratamento

Fundada em 06 de agosto de 1982, por um grupo de pais de pessoas com talassemia, a Associação Brasileira de Talassemia (ABRASTA) é uma entidade beneficente, sem fins lucrativos, e, atualmente, membro da Federação Internacional de Talassemia (TIF).

Com o aval e a orientação de um Comitê Científico, formado por especialistas nacionais e internacionais, a ABRASTA atua para oferecer às pessoa com talassemia um acesso fácil e rápido – de preferência desde os primeiros meses de vida – ao melhor tratamento, além de ajudar a melhorar a qualidade de vida das pessoas com talassemia e familiares. Para isso, a Associação investe na realização de programas que estimulam desde o conhecimento sobre a doença e novidades na área , até o suporte psicológico e jurídico desde o diagnóstico. Além disso, a ABRASTA possui uma programação intensa de eventos e programas de atualização para médicos da área.

Missão

Oferecer ajuda e mobilizar parceiros para que todas as pessoas com talassemia no Brasil tenham acesso ao melhor tratamento.



Diretoria – 2010 a 2013

  • Presidente: Merula Emmanoel Angyrou Steagall
  • Vice-presidente: Claudia Ângela Galleni di Sessa Vellozzo
  • Primeiro tesoureiro: Eduardo Maercio Fróes
  • Segundo tesoureiro: Ângelo Palumbo
  • Primeiro secretário: Fabio Henrique Braggion
  • Segundo secretário: Fernando Sabino


Conselho Fiscal

  • Membro efetivo: Rosana Aparecida Spoto Alves 
  • Membro efetivo: Weber Reynolds Caselatto

PRINCIPAIS CONQUISTAS DA ABRASTA
Em 1982 a ABRASTA é fundada
Em 1988 foi criado o protocolo único para diagnóstico da talassemia
Em 1998 o quelante Desferal é incluído na lista de medicamentos excepcionais distribuídos pelo Sistema Único de Saúde (SUS)
Em 2000 Merula Steagall assume a presidência da ABRASTA; a ABRASTA se filia a Federação Internacional de Talassemia (TIF) e foi criado o Comitê Científico  (nacional e internacional)
Em 2001 criação do protocolo brasileiro para o tratamento da talassemia baseado no protocolo da Federação internacional de Talassemia (TIF) 

* Mais conquistas você encontra no site da ABRASTA na aba quem somos

*Post retirado do site www.abrasta.org.br



Neste post falarei um pouco sobre a doação de medula óssea

Doação de medula óssea
Você sabia que o transplante de medula óssea é a única esperança de cura para muitos portadores de leucemias e outras doenças do sangue?
O que é medula óssea?
A medula óssea, é encontrada dentro dos ossos, é um tecido líquido-gelatinoso que ocupa o interior dos ossos rica em células progenitoras hematopoiética, as formadoras das células do sangue. É na medula óssea que são produzidos os componentes do sangue como: as hemácias (glóbulos vermelhos), os leucócitos (glóbulos brancos) e as plaquetas. As hemácias transportam o oxigênio dos pulmões para as células de todo o nosso organismo e o gás carbônico das células para os pulmões, a fim de ser expirado. Os leucócitos são os agentes mais importantes do sistema de defesa do nosso organismo e nos defendem das infecções. As plaquetas compõem o sistema de coagulação do sangue.
Qual a diferença entre medula óssea e medula espinhal?
Enquanto a medula óssea, como descrito anteriormente, é um tecido líquido que ocupa a cavidade interior dos ossos, a medula espinhal é formada de tecido nervoso que ocupa o espaço dentro da coluna vertebral e tem como função transmitir os impulsos nervosos, a partir do cérebro, para todo o corpo. Vale lembrar que estamos falando de doação de medula óssea!!!
O que é transplante de medula óssea?
É um tipo de tratamento proposto para algumas doenças que afetam as células do sangue, como leucemias e linfomas, e até algumas doenças de órgãos sólidos que venham a acarretar alguma deficiência na produção de células sanguíneas pela medula óssea.
Consiste na substituição de uma medula óssea doente, ou deficitária, por células normais de medula óssea, com o objetivo de reconstituição de uma nova medula saudável. O transplante pode ser autogênico, quando a medula vem do próprio paciente. No transplante alogênico a medula vem de um doador. O transplante também pode ser feito a partir de células precursoras de medula óssea, obtidas da circulação sanguínea de um doador (Aférese) ou do sangue de cordão umbilical.
Tudo seria muito simples e fácil se não fosse o problema de compatibilidade entre as medulas do doador e do receptor. A chance de encontrar uma medula compatível pode chegar a uma em mil!!! Por isso são organizados Bancos de Doadores de Medula Óssea, cuja função é cadastrar pessoas dispostas a doar. Quando um paciente necessita de transplante, esse cadastro é consultado e se for encontrado um doador compatível, ele será convidado a fazer a doação. Para o doador, a doação será apenas um incômodo passageiro. Para o doente, será a diferença entre a vida e a morte.
O que é compatibilidade?
Para que se realize um transplante de medula é necessário que haja uma total compatibilidade entre doador e receptor. Caso contrário, a medula será rejeitada pelo organismo transplantado. Esta compatibilidade é determinada por um conjunto de genes que devem ser iguais entre doador e receptor. A análise de compatibilidade é realizada por meio de testes laboratoriais específicos, a partir de amostras de sangue do doador e receptor, chamados de exames de histocompatibilidade HLA - (Antígenos Leucocitários Humano) que identifica as características genéticas de cada indivíduo. Com base nas leis de genética, as chances de um indivíduo encontrar um doador ideal entre irmãos (mesmo pai e mesma mãe) é de 25% e, a estatística de compatibilidade quando não aparentado é de 0,1%.
O que fazer quando não há um doador compatível?
Quando não há um doador aparentado compatível (geralmente um irmão ou parente próximo), a solução para o transplante de medula é fazer uma busca nos registros de doadores voluntários, tanto no REDOME (o Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea) como nos do exterior. No Brasil a mistura de raças e etnias dificulta a localização de doadores compatíveis. Mas hoje já existem mais de 12 milhões de doadores em todo o mundo. No Brasil, o REDOME tem 3 milhões de doadores voluntários cadastrados atualmente, ficando atrás somente dos Estados Unidos e da Alemanha.
Como é feito a busca de pacientes?
O processo é simples e totalmente informatizado. O médico responsável pelo paciente inscreve as informações do paciente, incluindo os resultados dos exames de Histocompatibilidade (HLA), no sistema do REREME - Registro Nacional de Receptores de Medula Óssea. Imediatamente, a busca é iniciada quando são cruzados os dados com os do doador (REDOME) em busca de uma maior compatibilidade. Quando são identificados possíveis doadores compatíveis, a informação é logo transmitida ao médico, que junto com a equipe do REDOME - Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea analisa os melhores doadores com maiores compatibilidades, faz a escolha, e é dado início aos procedimentos de doação.
O possível doador é contactado, os exames para a confirmação desta compatibilidade genética são realizados, se confirmada a sua compatibilidade, outros exames serão realizados para a doação de medula óssea propriamente dita, inclusive a verificação do seu estado atual e pregresso de saúde e outras condições cabíveis para evitar algum tipo de risco e manter a proteção do doador. A retirada das células para a doação é feita no hospital habilitado mais próximo da residência do doador. Assim que retiradas, as células são transportadas até o centro onde será feito o transplante.
Quem pode realizar o cadastro?
Qualquer pessoa com boas condições de saúde, que tenha entre 18 e 55 anos poderá realizar o cadastro para realização da doação de medula óssea. Os critérios de quem pode e não pode doar a Medula Óssea, seguem na maioria das vezes os mesmos critérios utilizados para a seleção da doação de sangue.
Como é feito o cadastro?
No Hemobanco, primeiramente é realizado uma orientação de como procede e funciona o cadastro e a doação de medula óssea. É em seguida realizado a retirada de 5 ml do seu sangue, para a realização dos testes de compatibilidade genética (HLA), e um cadastro por escrito, com os dados do doador que fica armazenado num banco de dados do REDOME - Registro de Doadores Voluntários de Medula Óssea.
Como é realizada a doação de medula óssea?
A doação de Medula Óssea é um procedimento que se faz no centro cirúrgico, realizado geralmente com anestesia geral, ou dos membros inferiores com sedação, com duração de aproximadamente 90 minutos e necessidade de 24 horas de internação. São feitas punções na região pélvica posterior (ossos do quadril/bacia) para a retirada da medula óssea.
Outro modo de se obter as células para um transplante de medula óssea é através do procedimento de Aférese, a separação das células se dá por um sistema automatizado onde uma máquina separa as células que serão transplantadas. Neste caso, antes da coleta por aférese, você receberá uma medicação injetável a qual fará aumentar a quantidade de células a serem transplantadas na circulação sanguínea (chama-se mobilização) permitindo coletarmos através da circulação periférica uma quantidade suficiente para a realização do TMO (Transplante de Medula Óssea).
A escolha da forma a ser coletada ficará sobre responsabilidade da equipe médica, levando em condições a proteção do doador e a qualidade das células a serem transplantadas para o receptor.
Tem algum risco para o Doador?
Os riscos são relacionados a um procedimento que necessita de anestesia, alguns dos doadores costumam relatar de um pouco de dor no local da punção, sendo retirada do doador a quantidade de medula óssea necessária (menos de 15%). Dentro de poucas semanas, a medula óssea do doador estará inteiramente recuperada pelo próprio organismo. A medula leva aproximadamente 15 dias para se reconstituir, sendo possível realizar outras doações posteriormente no caso de necessidade. O procedimento é realizado no Hospital de Clínicas mais próximo da residência do doador, sem nenhum custo para o mesmo, e depois a Medula Óssea é transportada até o hospital onde se encontra o receptor.
"Para o doador, a doação será apenas um incômodo passageiro. Para o paciente que necessita do Transplante de Medula Óssea, será a diferença entre a vida e a morte".
Como é o transplante para o paciente?
Depois de se submeter a um tratamento que ataca as células doentes e destrói a própria medula, o paciente recebe a medula sadia como se fosse uma transfusão de sangue. Essa nova medula é rica em células chamadas progenitoras que, uma vez na corrente sangüínea, circulam e vão se alojar na medula óssea, onde se desenvolvem. Durante o período em que estas células ainda não são capazes de produzir glóbulos brancos, vermelhos e plaquetas em quantidade suficiente para manter as taxas dentro da normalidade, o paciente fica mais exposto a episódios infecciosos e hemorragias. Por isso, deve ser mantido internado no hospital, em regime de isolamento. Cuidados com a dieta, limpeza e esforços físicos são necessários. Por um período de duas a três semanas, o paciente necessitará ser mantido internado e, apesar de todos os cuidados, os episódios de febre muito comuns. Após a recuperação da medula, o paciente continua a receber tratamento, só que em regime ambulatorial, sendo necessário em alguns casos o comparecimento diário ao hospital-dia.
Quais os riscos para o paciente?
A boa evolução durante o transplante depende de vários fatores: o estágio da doença (diagnóstico precoce), o estado geral do paciente, boas condições nutricionais e clínicas, além, é claro, do doador ideal. Os principais riscos se relacionam às infecções e às drogas quimioterápicas utilizadas durante o tratamento. Com a recuperação da medula, as novas células crescem com uma nova 'memória' e, por serem células da defesa do organismo, podem reconhecer alguns órgãos do indivíduo como estranhos. Esta complicação, chamada de doença enxerto contra hospedeiro, é relativamente comum, de intensidade variável e pode ser controlada com medicamentos adequados. No transplante de medula, a rejeição é rara.
O que a população pode fazer para ajudar os pacientes?
Todo mundo pode ajudar. Para isso é preciso ter entre 18 e 55 anos de idade e gozar de boas condições de saúde. Para se cadastrar, o candidato a doador deverá procurar o Hemobanco, onde será fornecido uma orientação para esclarecer dúvidas a respeito da doação de Medula Óssea e, em seguida, será feita a coleta de uma amostra de sangue (5 ml) para a tipagem HLA (características genéticas importantes para a seleção de um doador). Os dados do doador são inseridos no cadastro do REDOME e, sempre que surgir um novo paciente, a compatibilidade será verificada. Uma vez confirmada, o doador será consultado para decidir quanto à doação. O transplante de medula óssea é um procedimento seguro, realizado em ambiente cirúrgico, feito sob anestesia geral, e requer internação de, no mínimo, 24 horas.
Para ser um doador de medula:
  • Qualquer pessoa entre 18 e 55 anos com boas condições de saúde poderá doar medula óssea;
  • Os doadores preenchem um formulário com dados pessoais e é coletada uma amostra de sangue com 5ml para testes de compatibilidade. Estes testes determinam as características genéticas que são necessárias para a compatibilidade entre o doador e o paciente;
  • Os dados pessoais e os resultados dos testes são armazenados em um sistema informatizado que realiza o cruzamento com dados dos pacientes que estão necessitando de um transplante;
  • Em caso de compatibilidade com um paciente, o doador é então chamado para exames complementares e para realizar a doação;
  • Tudo seria muito simples e fácil, se não fosse o problema da compatibilidade entre as células do doador e do receptor. A chance de encontrar uma medula compatível é, em média, de UMA EM CEM MIL!;
  • Por isso, são organizados Registros de Doadores Voluntários de Medula Óssea, cuja função é cadastrar pessoas dispostas a doar. Quando um paciente necessita de transplante e não possui um doador na família, esse cadastro é consultado. Se for encontrado um doador compatível, ele será convidado a fazer a doação;
  • Procure os profissionais do Hemobanco e realize o cadastro de doador voluntário de medula óssea;
  • Para o doador, a doação será apenas um incômodo passageiro. Para o doente, será a diferença entre a vida e a morte;
  • A doação de medula óssea é um gesto de solidariedade e de amor ao próximo.
Os bancos de sangue são responsáveis somente pela realização dos cadastros, o armazenamento, controle, disponibilização de doadores e a atualização dos dados cadastrais ficam sob responsabilidade do próprio REDOME.
Um doador de Medula Óssea deve manter seus dados atualizados sempre que possível. Caso haja alguma mudança, ATUALIZE O SEU CADASTRO nos endereços:

REDOME / REREME
Rua do Resende, 195, térreo - Centro - Rio de Janeiro (RJ)
Telefone do REDOME.: (21) 3207-5299 / 3207-5214
Telefone do REREME.: (21) 3207-5233
site: www.inca.gov.br/doador
e-mail: redome@inca.gov.br



Ola pessoal, o post de hoje vai falar um pouco sobre a doação de sangue.

Doar sangue é seguro?
SIM. Doar sangue não dói nem prejudica sua saúde, não vicia, não engorda nem emagrece, não torna obrigatória a doação regular caso não queira, não afina, não engrossa o sangue e não enfraquece o doador. O material utilizado na coleta é descartável, de uso único e não oferece qualquer risco de contaminação. A doação é rápida e a quantidade de sangue coletado é de aproximadamente 450 ml.

Quem PODE doar sangue?
Para realização da doação de sangue é necessário o doador:
  • Estar em boas condições gerais de saúde, tanto físicas como psíquicas;
  • Ter idade entre 18 e 67 anos. O limite para a primeira doação é até 60 anos. Indivíduos entre 16 e 18 anos podem realizar doações de sangue desde que estejam acompanhados dos pais ou responsáveis legais devidamente documentados e cumpram alguns requisitos conforme legislação vigente (verificar abaixo o item: O indivíduo menor de 18 anos pode realizar doação de sangue?);
  • Pesar mais de 50 kg;
  • Não estar grávida, nem amamentando;
  • Não estar em jejum (refeição leve), e após o almoço aguardar o intervalo de 2 horas para realizar a doação e, no caso de uma alimentação gordurosa, aguardar um intervalo de 3 horas;
  • Se ingerir bebida alcoólica - aguardar 12 horas;
  • Obedecer aos intervalos mínimos de doação: para homens o intervalo é de 2 meses, não ultrapassar 4 doações ao ano / e para mulheres intervalo é de 3 meses, não ultrapassar 3 doações ao ano;
  • Ter estilo de vida saudável e sem riscos de doenças infectocontagiosas e graves;
  • Não se enquadrar nas condições de quem não pode doar sangue, descritas no próximo ícone;
  • É obrigatório portar um documento oficial com foto no ato da doação;
  • O uso de medicamentos e doenças pregressas e anteriores serão avaliados no momento da entrevista (triagem clínica) que antecede a doação.
Se você doar sangue uma vez, não terá necessariamente que fazer novas doações, mas sempre que for possível, doe. E ajude a salvar vidas.
Quem NÃO PODE doar sangue?
Os indivíduos que não cumpram as exigências preconizadas pela legislação vigente, Portaria 1353/MS de 13 de Junho de 2011, tais como:
  • Indivíduos que não estão em boas condições de saúde;
  • Não se enquadram na faixa etária de 18 a 67 anos, 11 meses e 29 dias (a primeira doação deve ser realizada até os 60 anos, 11 meses e 29 dias);
  • Peso inferior a 50 Kg;
  • Tentativa de doação fora do intervalo e freqüência mínima permitida: 2 meses para homens, 4 doações anuais; 3 meses para mulheres, 3 doações anuais;
  • Hipertensos com pressão arterial fora dos parâmetros de normalidade;
  • Anêmicos;
  • O uso de alguns medicamentos, o qual deve ser avaliado individualmente por profissional qualificado;
  • Gestantes e lactantes;
  • Hipermenorréia;
  • Uso de bebidas alcoólicas contra-indica a doação por 12 horas após o consumo;
  • Alergias, gripes, resfriados e doenças infecciosas;
  • Quem fez cirurgia de pequeno ou grande porte nos últimos meses (informar a cirurgia);
  • Algumas cirurgias e tratamento odontológico próximo a data da doação;
  • Cirurgia cardíaca e/ou problemas cardíacos graves é inaptidão definitiva;
  • Tatuagem, maquiagem definitiva ou piercing 6 meses após a realização; e 12 meses após se não houver condição de avaliação da segurança do procedimento realizado;
  • Piercing na cavidade oral e/ou na região genital, devido ao risco permanente de infecção, a inaptidão a doação é de 12 meses após a retirada do mesmo;
  • Quem esteve nos últimos 12 meses em região endêmica para doença de chagas, febre amarela ou malária;
  • Indivíduos que receberam componentes sanguíneos ou hemoderivados nos últimos 12 meses;
  • Histórico atual ou pregresso de uso de drogas ilícitas;
  • Quem teve hepatite após os 10 anos de idade ou contato com alguém com hepatite;
  • Indivíduos que tenham antecedente clínico, laboratorial ou histórico atual de infecções pelos agentes da Hepatite B e C, HIV, HTLV, Chagas e Sífilis;
  • Indivíduos que apresentem situações ou comportamentos que levem a risco acrescido para a AIDS e infecções sexualmente transmissíveis;
  • Vale lembrar que demais situações devem ser avaliadas por um profissional qualificado em prol de manter a proteção do doador e do receptor.
Atenção:
  • Não doe em jejum:
    • O intervalo entre o almoço e a doação de sangue deverá ser de no mínimo 2 horas;
    • Aos candidatos à doação de sangue que tenham feito refeição rica em substâncias gordurosas, como feijoada, churrasco, etc, este intervalo deverá ser de 3 horas, caso contrário o sangue NÃO poderá ser aproveitado;
  • Durma bem na noite anterior à doação;
  • Não fume por pelo menos 1 hora após a sua doação;
  • Não faça uso de bebida alcoólica pelo menos 12 horas antes de doar (informar a quantidade ingerida);
  • Obedeça aos intervalos e freqüências para doação:
    1) Doadores entre 18 e 67 anos: para homens o intervalo é de 2 meses, com freqüência máxima de 4 doações anuais; para mulheres o intervalo é de 3 meses, com freqüência máxima de 3 doações anuais;
    2) A primeira doação deve ser realizada até os 60 anos 11 meses e 29 dias.
O que acontece com o sangue doado?
Após a sua doação seu sangue será encaminhado para o setor de fracionamento, onde será dividido em seus diversos componentes como: as Hemácias, o Plasma, as Plaquetas ou o Crioprecipitado. As amostras de sangue, coletadas também no momento da doação, serão encaminhadas para a realização dos exames exigidos por lei. São os exames Imunohematológicos, que é a Tipagem ABO e o fator Rh e também, a pesquisa de hemoglobinas anômalas. E os exames Sorológicos, a fim de evitar a transmissão de doenças através do sangue. Os exames de pesquisa de doenças infecciosas realizados são: AIDS,Hepatites B e CChagasSífilisHTLV I e II.
O sangue que apresentar resultados sorológicos negativos será devidamente etiquetado e liberado para distribuição e transfusão. O que apresentar algum problema será descartado e o doador será chamado e receberá as orientações cabíveis necessárias.

Você já ouviu falar em "JANELA IMUNOLÓGICA"?
O que é janela imunológica?
É o período de tempo decorrente entre a contaminação de um indivíduo por um determinado microorganismo e o desenvolvimento de um marcador pelo organismo que a detecte numa amostra de sangue.
Infelizmente não existem exames que detectem imediatamente a contaminação. Isto é o que deixa um risco residual de se transmitir alguma doença, por exemplo, por uma transfusão sanguínea. Por isso, é fundamental que triagem clinica (entrevista) que o doador seja sincero quanto a exposições de risco para evitar a transmissão de doenças na fase de janela imunológica.
Por exemplo: o período entre a infecção de um indivíduo pelo HIV e o desenvolvimento e o aparecimento dos anticorpos pelo seu organismo contra essa doença é o chamado período de "janela imunológica". Não é possível identificar se uma pessoa foi infectada até que os anticorpos possam ser detectados, pois os testes rotineiros para HIV baseiam-se na presença de níveis detectáveis de anticorpos (anti-HIV), e não na presença do próprio vírus.
A presença de anticorpos detectáveis, e conseqüentemente, a duração exata do "período de janela imunológica" varia de acordo com cada indivíduo e patologia. Para alguns pesquisadores, os anticorpos se apresentam em torno de 14 dias após a infecção; para outros, estes não se apresentam antes de 28 dias.
Por isso é muito importante que pessoas que possuem um comportamento de risco para o HIV ou expostas a este vírus ou para outras doenças transmissíveis, não doem sangue, pois mesmo que os testes indiquem que o doador não está infectado pelo HIV ou outros, ainda há o risco do doador estar no "período de janela", e desse modo, o vírus poderá ser transmitido pelo sangue ao receptor, ou seja, ao paciente que receberá o sangue.







Quem recebe o sangue doado?
Pessoas que precisam repor o sangue perdido em grandes cirurgias, hemorragias ou acidentes. Além dessas, há as que precisam tomar sangue sempre, como é o caso das que sofrem de doenças hematológicas como as anemias graves, leucemias, linfomas e mielodisplasias.
Pode ocorrer alguma reação adversa durante ou após a doação de sangue?
Durante a coleta de sangue podem surgir algumas reações leves como:
  • Sensações de desmaio;
  • Suor;
  • Formigamento das mãos e pés;
  • Visão embaçada;
  • Vômito;
  • Desmaio e raramente convulsão.
Algumas situações podem favorecer essas reações, como por exemplo: uma noite mal dormida, estresse e ansiedade, estar mal alimentado e mal hidratado etc.
Após a doação você deve ficar atento, pois até 24 horas após a sua doação podem ocorrer as seguintes reações:
  • Hematoma: devido a extravasamento de sangue no local de punção.
    * Conduta imediata: aplicar gelo. Após 6 horas: compressa quente e úmida;

  • Parestesia: formigamento do braço e mão devido a punção do nervo;
    * Conduta: nenhuma; melhora sozinho em alguns dias;
  • Reação vaso-vagal: suor frio, palidez, fraqueza, desmaio.
    * Conduta: abaixar a cabeça e respirar profundamente até o mal-estar passar;

  • Tetania: formigamento da mão e espasmos (tipo "câimbra").
    * Conduta: respirar pela boca várias vezes dentro de um saco de papel.
  • Hipotensão: queda da pressão arterial.
    * Conduta: abaixar a cabeça e respirar profundamente. Aplicar, se necessário, compressas frias na fronte (testa);
  • Náuseas e vômitos
    * Conduta: aplicar compressas frias na fronte ("testa") e se necessário tomar medicação.
O doador pode trabalhar ou fazer outras atividades depois da doação?
O trabalhador pode sim retornar as suas atividades de rotina, desde que esteja sentindo-se bem após a doação, e, que sua atividade laboral não ofereça risco para si ou para outros. No caso por exemplo: piloto, motorista profissional, trabalho em andaimes, etc, recomenda-se não retornar as atividades independente de estar se sentindo bem.
Para evitar reações, ao final do processo, o doador é orientado para não exercer ou praticar atividade física no dia da doação.
O indivíduo menor de 18 anos pode realizar doação de sangue?
Conforme preconiza a legislação vigente a Portaria 1353/MS de 13 de Junho de 2011, indivíduos entre 16 e 17 anos, ou seja, 18 anos incompletos, podem realizar a doação de sangue somente perante um termo de responsabilidade por escrito assinado pelo responsável legal. Responsabilidade essa comprovada por apresentação de um documento oficial de ambos (responsável legal e doador de menor) no ato da doação. E, durante a doação de sangue propriamente dita, o responsável deve estar presente.
Salientamos que esse termo fornece ao menor doador a autonomia por responder por todas as etapas da sua doação de sangue, exigências e responsabilidades previstas aos demais doadores, bem como para submeter-se a triagem clínica, realizar e receber os resultados da triagem laboratorial na forma prevista deste Regulamento, inclusive no caso de algum resultado de exame alterado.
Termo de Consentimento Informado para Doação de Menor de 18 anosClique aqui para download.
Existe algum cuidado a ser tomado após a coleta de sangue?
  • Tomar bastante líquido no dia da doação;
  • Evitar bebidas alcoólicas no dia da doação;
  • Não fumar por 1 hora após a doação;
  • Evitar esforço físico ou praticar esportes, por no mínimo, 12 horas após a doação;
  • Deixar o Banco de Sangue somente se estiver sentindo-se bem;
  • Se apresentar sintoma de processo infeccioso, como febre e diarréia, até 7 dias após a doação comunicar o Hemocentro onde realizou sua doação imediatamente.
A doação de sangue ajuda a salvar vidas sim. O sangue e seus componentes são vitais e insubstituíveis para todos nós seres humanos, e até hoje não se conseguiu substitutos artificiais eficientes para supri-los nos casos de sua falta. Daí a importância da doação, pois é a única fonte deste elemento raro que pode salvar uma vida.É correto dizer que doar sangue pode ajudar a salvar uma vida?

Horários de atendimento:
Segunda-feira:das 07h00 às 18h30
Terça-feira:das 07h00 às 19h30
Quarta-feira:das 07h00 às 18h30
Quinta-feira:das 07h00 às 18h30
Sexta-feira:das 07h00 às 18h30
Sábado:das 07h00 às 12h30





Até a próxima...